Myriophyllum aquaticum (Vell.) Verdc.

Erva-Pinheirinha

 

FamiliaHaloragaceae

 

Outros Nomes VulgaresPinheirinha-de-água, milefólio-aquático, milfolhada-aquática, palha-carga, pinheirinha.

 

Origem: América do Sul (Estados meridionais do Brasil, Perú, Uruguai, Argentina e Chile).

 

Características Gerais: Erva aquática, vivaz, geralmente com as flores masculina e feminina ocorrendo em indivíduos separados (dióica). Os caules, que podem atingir 2 m, são simples ou muito ramificados, erecto-ascendentes e com a parte aérea emergente e rizomatosa. As folhas que se encontram fora de água, são mais largas do que as submersas e estão dispostas em verticilos de 4 a 6, são penatissectas, com 8 a 30 segmentos, quase obtusos, verde-azuladas. As flores dispõem-se em espiga emergente. São unissexuais, axilares e sésseis, sendo as superiores geralmente masculinas e as inferiores femininas (estas encontram-se sobretudo fora de água). As flores femininas são nuas, ou seja, sem pétalas, as flores masculinas possuem 8 estames. O cálice contém sépalas triangulares nas flores masculinas, lineares e mais pequenas nas femininas. Os frutos são ovóides, papilosos e separam-se em 4 segmentos, cada um com 1 semente.

 

Floração: De Maio a Outubro.

 

Habitat: Leito de canais, rios, charcos, solos encharcados.

 

Distribuição: Alto Alentejo, Beira Litoral, Douro Litoral, Estremadura, Minho, Ribatejo.

 

Curiosidades: Espécie exótica com carácter invasor, listada no Decreto-Lei 565/99, tendo sido introduzida como espécie ornamental para utilização em aquários. Invade linhas de água, valas, lagoas, pântanos e solos encharcados, dispersando-se de forma vegetativa, por fragmentação dos caules.